Mulher caminhoeira, a representatividade femina nas estradas brasileiras

Trabalhar em uma profissão que até pouco tempo atrás era predominantemente masculina: esse é o cenário da mulher caminhoneira. 

Discussões de gênero à parte, pois não é esse o objetivo de nosso artigo, a profissão era preferencialmente para homens pela concepção que havia de mulheres serem seres frágeis. 

No entanto, o mundo evoluiu. Na verdade ao longo de décadas, mas em maior velocidade nas últimas décadas do século 20 e a partir do início do novo milênio. 

O primeiro registro que se tem de uma mulher ao volante de um possante, data do início dos anos 50. Seu nome era Neiva Chaves Zelaya, conhecida como Tia Neiva, que detém também o título de primeira habilitação profissional concedida a uma mulher no Brasil. 

Desde que a pioneira se aventurou pelas estradas brasileiras em um bruto, abriu precedentes para suas sucessoras. 

Atualmente há muitas mulheres trabalhando como motoristas de caminhão. Empresas transportadoras já têm, inclusive, aberto as portas para essas guerreiras. 

Mas como começar nessa profissão? Se você que está lendo o artigo tem esse sonho, aproveite as dicas!

Mulher caminhoneira: dicas para quem quer começar na profissão

Como você sabe, a vida como motorista de caminhão não é fácil, tanto para homens quanto para mulheres. 

No entanto, segundo quem escolheu essa profissão, garante que a sensação de liberdade que se tem, faz valer a pena a escolha. 

Então, se é isso que você quer, veja tudo que deve considerar e o que precisa fazer para iniciar na profissão. 

Profissão caminhoneira: o que considerar e o que fazer

  1. Pode ficar muito tempo longe da família

A vida de caminhoneiro não tem um cronograma certo, do tipo “viajo hoje e daqui três dias estou de volta”. A não ser que já tenha carga de volta, não se pode programar isso. 

Então quem é muito apegada à família ou tem filhos e precisa de alguém que possa cuidá-los, deve ter isso em mente e um bom planejamento. 

  1. O início pode ser um pouco difícil

Apesar de o mercado estar mais receptivo às mulheres dirigindo caminhões, ainda há muito o que avançar. Nem todas transportadoras têm ou dispõem de vagas para o sexo feminino. 

A boa notícia: as que fizeram isso só tem a elogiar o trabalho feminino, segundo elas, as mulheres economizam combustível e respeitam mais as leis de trânsito. 

Outro ponto que pesa é (ainda!) a estranheza que causa uma mulher no volante de um possante. Mas nada que ela não tire de letra!

  1. A compra do caminhão

Do ponto de vista prático, se deve pensar na aquisição do possante, caso a ideia seja trabalhar com um veículo próprio. 

Há vários pontos a considerar: comprar um caminhão novo ou um usado? Usar todo dinheiro na compra ou usar parte e financiar o resto, guardando como reserva um pouco de dinheiro?

Para ajudar nesse ponto, indicamos alguns artigos nossos:

  1. Capacitar-se sempre

Além de fazer os cursos essenciais exigidos para motoristas, como direção defensiva e mopp, em casos de preparação para dirigir cargas perigosas, se deve apostar em vários outros tipo de cursos. 

Para saber mais, leia este artigo que preparamos: Os principais cursos para a qualificação de caminhoneiros

  1. Ter sempre amigos confiáveis por perto

Para o caminhoneiro, além dos amigos de estrada, ter soluções para momentos em que precisa de uma “mãozinha extra” é essencial. 

Por isso, você pode contar com soluções como o  cartão Rede Frota. Com ele você fica tranquilo para fazer seus fretes, pode sacar dinheiro e tudo o que comprar tem até 20 dias para pagar. 

Esperamos que tenha gostado de nossas dicas e que tenhamos ajudado em sua decisão de escolher essa nobre profissão. 

Caso tenha alguma dúvida ou sugestão, use o espaço dos comentários para falar conosco. 

Nos vemos no próximo post!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão destacados com *