manutenção preventiva, preditiva e corretiva

Manutenção preventiva, preditiva e corretiva de frotas: o que é cada uma delas e em qual apostar?

Essencial na gestão de frotas, as manutenções preditiva e preventiva ajudam a otimizar cada vez mais os processos e reduzir cada vez mais os custos.

A corretiva, por sua vez, acontece somente quando o veículo apresenta algum problema que não foi previsto, e que poderia ter sido, por meio da manutenção preventiva ou preditiva.

Vamos ir mais a fundo neste assunto: Continue a leitura!

O que é manutenção preventiva, preditiva e corretiva?

É preciso entender o que cada uma dessas manutenções significa e quais impactos elas têm na gestão de frotas.

Em resumo, as conhecer ajuda a encontrar meios de aproveitar ao máximo a vida útil dos caminhões e demais veículos, assim como diminuir as manutenções corretivas e a compra de peças e componentes novos.

Manutenção preditiva

Bastante confundida com a manutenção preventiva, a preditiva é também planejada e tem o objetivo de garantir a vida útil dos veículos. A principal diferença é que ela não segue — nem precisa ter — um cronograma tão rígido.

Além disso, a realização da manutenção preditiva é diferente. Nela são analisados dados e observadas as condições dos veículos.

Temperatura, pressão, ruídos nos veículos: dentre outros, esses fatores são analisados por meio de tecnologias instaladas nas máquinas. Por isso, o investimento inicial em manutenção preditiva é um pouco mais alto e são poucos gestores que entendem sua vantagem em longo prazo.

Manutenção preventiva

Dentro de um programa de manutenção em uma gestão de frotas, a manutenção preventiva é a mais comum.

Suas principais características são: ter um planejamento e um cronograma predefinido.  Para que seja efetiva, deve seguir à risca esse planejamento e calendário.

Como funciona a manutenção preventiva? Por meio de cuidados rotineiros, como aferição e calibração dos pneus, lubrificação, checagem de motor e peças, dentre muitos outros itens, se previne problemas nos veículos.

Geralmente, ela ajuda a prevenir problemas no veículo por meio de cuidados rotineiros, como lubrificação, planos de calibração de pneus, assim como de aferição, ainda entre outros.

O objetivo é identificar possíveis desgastes ou falhas que possam ser prejudiciais mais adiante e até fazer o veículo parar — e assim, atrapalhar a logística.

Este tipo de manutenção tem um custo, mas menor que o da preditiva e certamente evitará custos maiores com a corretiva.

Manutenção corretiva

Como o próprio nome diz, ela corrige. Ou seja, quando acontece, o veículo já parou e impactou na logística de distribuição.

Isso significa o quê? Atraso na entrega (mesmo que o veículo seja substituído, se perde tempo nessa troca), dinheiro parado e possivelmente cliente insatisfeito.

Por isso, sempre é recomendado que se tenha um programa de manutenção preventiva.

Tem algo a compartilhar conosco sobre este tema? Conte nos comentários.

E lembre-se: temos o software mais completo para gestão de frotas e pagamentos: o Rede Frota. Ele engloba várias soluções que facilitam o trabalho do gestor de frotas e o ajuda a trazer mais resultado para a empresa. Clique aqui para conhecer!

Nos vemos no próximo post!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão destacados com *