A gestão inteligente de frotas é o processo que envolve o completo controle de veículos e é o que pode garantir vantagem competitiva às empresas do ramo.

Quando bem executada, é possível visualizar e planejar todas as atividades que abrangem operações dos veículos das empresas de transporte rodoviário. Para isso, é preciso ter processos bem definidos, executados, monitorados e aperfeiçoados, caso seja preciso.

Que tal conhecer algumas ações que devem ser inteligentemente desenvolvidas para garantir resultados positivos às organizações?Continue a leitura!

Ações para uma gestão inteligente de frotas

Com algumas ações bem planejadas e monitoradas é certo o sucesso da gestão de frotas para alcançar bons resultados. Listamos algumas delas:

1 – Mapear todos os processos da operação

É preciso planejar, mas é essencial que se tenha bem claros todos os processos relacionados à gestão de frotas.

No setor de manutenção, por exemplo, é preciso saber se há um programa (ou criá-lo), saber os períodos em que as manutenções devem acontecer, ter um relatório de acompanhamento, histórico de cada uma delas por veículo etc.

Só assim se consegue acompanhar e diagnosticar o que está sendo feito de maneira correta e o que precisa de ajuste. Só assim será possível garantir bons resultados.

Além disso, ações que têm certa periodicidade devem seguir à risca um cronograma. De nada adianta fazer duas manutenções certas e esquecer ou adiar as demais. Ou fazer a revisão de pneus dentro do cronograma de três semanas e pular a quarta semana do mês.

Lembre-se que a gestão de frotas é um segmento que soma aos demais para se chegar ao macro, que é a boa gestão empresarial.

2 – Ter metas realistas

As metas são fundamentais para nortear as ações e atividades dentro de um planejamento e servem para conduzir melhorias de desempenho.

No entanto, é preciso que elas sejam alcançáveis. Se a meta é ousada, a dica é desmembrá-la e ir por etapas,  para não comprometer o planejamento e não frustrar os envolvidos.

Uma gestão inteligente irá focar no que é realmente necessário para o crescimento da empresa e que cabe dentro dos recursos.

Não adianta, por exemplo, estipular a meta de trocar toda a frota de caminhões a curto prazo se isso é meio inviável dentro da conjuntura econômica no momento.

O que fazer então? Criar um planejamento com objetivos realistas e a médio e longo prazo,  prevendo a troca de dois caminhões a cada semestre, por exemplo.

Nisso, aliás, o histórico dos veículos em dia ajudará muito na hora de definir quais serão trocados, além de ajudar na venda dos mesmos.

3 – Saber para onde vai o dinheiro

No controle de frotas é fundamental que se tenha o acompanhamento de gastos. Só assim o gestor conseguirá analisar quais veículos dão lucro.

Para isso é preciso ter métricas definidas e sistemas de acompanhamento por planilhas ou por ferramentas eletrônicas.

O gasto de combustível por quilometro rodado, o custo com seguros, as manutenções, a capacidade de carga, dentre outros, são exemplos de indicadores essenciais para as análises.

4 – Saber lidar com imprevistos

Uma gestão inteligente de frotas precisa saber lidar com imprevistos.

Sabemos que nem sempre as ações ocorrem conforme o planejado ou não contamos com surpresas ou alguns obstáculos ao longo do caminho.

Por isso é preciso ter estratégias como reserva financeira, seguros de frotas que contemplem adversidades etc.

Esperamos que tenham gostado do artigo.

E lembre-se: Rede Frota é o software mais completo para gestão de frotas e pagamentos. Ele engloba várias soluções que facilitam o trabalho do gestor de frotas e o ajuda a trazer mais resultado para a empresa. Clique aqui para conhecer!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão destacados com *